quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Beber refrigerante aumenta risco de câncer de próstata

Uma única latinha por dia já é prejudicial, aponta estudo sueco.
POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 27/11/2012


Refrigerantes já saíram do cardápio de inúmeras mulheres preocupadas com o peso e até o aumento da celulite. Agora, o consumo da bebida também deve cair entre os homens: um estudo descobriu que beber refrigerante pode favorecer o surgimento de tipos agressivos de câncer de próstata. A pesquisa será publicada na próxima edição do American Journal of Clinical Nutrition, mas já foi divulgada online nesta segunda-feira (26).

Especialistas da Lund University, na Suécia, acompanharam oito mil homens com idades entre 45 e 73 anos por um período de 15 anos. Todos foram submetidos a uma bateria de exames regularmente e tiveram seus hábitos alimentares avaliados.

Os resultados mostraram um aumento de 40% no risco de desenvolver formas graves de câncer de próstata entre homens que bebiam 330 mililitros de refrigerante diariamente, o que equivale a quase uma latinha por dia. Outra conclusão foi de que consumir uma dieta rica em carboidratos, como arroz e massas, aumentava o risco de desenvolver tipos menos agressivos de câncer de próstata em 31%. Por fim, açúcar e cereais matinais foram associados a uma probabilidade 38% maior de desenvolver tipos menos agressivos desse câncer.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre o público masculino, ficando atrás apenas do câncer de pulmão. Para se prevenir da doença, especialistas dão uma lista de recomendações, além, é claro, da redução do consumo de refrigerante. Confira quais são eles:

1. Beba leite
Fonte de vitamina D e cálcio, o leite ajuda no processo de autodestruição de células cancerígenas. Recomenda-se a ingestão de 500 ml da bebida por dia. Mais do que isso pode ser prejudicial.

2. Tempere com alho e cebola
Alho e cebola podem diminuir em até 30% o risco de desenvolver o câncer de próstata. Isso acontece graças a compostos sulfurosos e nutrientes antioxidantes neles presentes. Meia cebola ou dois dentes de alho por dia já são o suficiente.

3. Coma tomate
Rico em licopeno, o tomate é um famoso aliado de quem deseja se prevenir do câncer de próstata. A substância com alto poder antioxidante diminui em até 33% o risco de ter a doença.

4. Soja
A genisteína, um tipo de isoflavona, foi apontada em diversos estudos como um elemento capaz de favorecer a autodestruição de células cancerígenas. Invista em bebidas à base de soja ou mesmo em carnes de soja.


sábado, 1 de dezembro de 2012

Alimentos que previnem o aparecimento de Tumores


Conheça os grupos de alimentos que previnem o aparecimento de tumores


Um levantamento divulgado pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostrou vitórias dos brasileiros contra a doença: a mortalidade por tumores no colo do útero diminuiu e a sobrevida de mulheres com câncer de mama está em 80%. A prevenção, entretanto, é uma batalha do dia a dia. E uma dieta balanceada é fundamental.




De acordo com a nutróloga Tamara Mazaracki, há grupos de alimentos que se destacam na ação anticancerígena. A classe dos chás e mates, por exemplo, é poderosa por sua ação antioxidante — capaz de neutralizar toxinas do organismo. Mas nada de comprar a bebida na lata. Para potencializar a ação benéfica das ervas, o indicado é preparar as infusões no mesmo dia do consumo.

Outras pequenas guerreiras contra o câncer são as frutas vermelhas, como cereja, amora e açaí.

— Essas frutas podem ser batidas com iogurte ou adicionadas ao sorvete para crianças — sugere Tamara.

As folhas verdes também são obrigatórias no prato de quem quer se prevenir contra o câncer.

— O agrião, por exemplo, deve ser consumido duas vezes por semana para sua ação ser efetiva. O ideal é que a pessoa vá alternando, mas, todo dia, tenha sempre alguma folha verde no prato — encerra a médica.

Pesquisa

Colo de útero

Curitiba apresentou a maior queda, tanto para o número de novos casos (-9,4% de 1998 a 2006) como para o total de óbitos (-7,9%).

Mama

A incidência aumentou ou se manteve estável em seis das 11 cidades analisadas. Em Porto Alegre, foram mais 3,6% de 1993 a 2005. Em João Pessoa, mais 3,8% de 1999 a 2006.

Pulmão

Em João Pessoa, o aumento de casos foi de 21,4% entre as mulheres e de 9% entre os homens. A mortalidade cresceu em todas as cidades.


Fonte: Extra/Globo