quinta-feira, 26 de julho de 2012

Comer uma maçã por dia agora tem um novo significado


 "Comer uma maçã por dia" agora tem um novo significado para aqueles que querem manter a agilidade mental à medida que envelhecem. Nova pesquisa realizada pela University of Massachusetts Lowell sugere que consumir suco de maçã pode proteger contra danos celulares que contribuem para a perda de memória associada com a idade, mesmo em animais de teste que não tinham a tendência de desenvolver a doença de Alzheimer e outras demências.

"Este estudo sugere que comer maçã e tomar o seu suco, associados a uma dieta balanceada, pode proteger o cérebro dos efeitos do estresse oxidativo - e que nós deveríamos ingerir alimentos ricos em antioxidantes", observa o principal pesquisador Thomas B. Shea, Ph.D., diretor da University of Massachusetts Lowell's Center for Cellular Neurobiology and Neurodegeneration Research. Embora sejam necessárias outras pesquisas, Shea está animado com as descobertas.

Usando um protocolo animal, Shea e seus colegas de pesquisa avaliaram se o consumo de suco de maçã protegia contra danos cerebrais oxidativos em camundongos em envelhecimento, danos que podem levar à perda de memória. "Essas novas descobertas mostram que existe algo na maçã que protege as células cerebrais no envelhecimento normal, muito semelhante à proteção observada anteriormente contra sintomas semelhantes aos da doença de Alzheimer", disse Shea.

Os pesquisadores avaliaram camundongos adultos e velhos usando uma dieta padrão, uma dieta deficiente em nutrientes e uma dieta deficiente em nutrientes suplementada com suco de maçã.

Embora os camundongos adultos não tenham sido afetados negativamente pelas dietas deficientes, os camundongos velhos foram o que é consistente com o envelhecimento normal devido à neurodegeneração oxidativa. O efeito na cognição entre os camundongos envelhecidos foi medido por meio de testes de labirinto seguidos por exames do tecido cerebral. Os camundongos velhos que consumiram dietas suplementadas com suco de maçã tiveram melhor desempenho nos testes de labirinto e todos tinham menos danos cerebrais oxidativos do que aqueles na dieta padrão.

A suplementação com suco de maçã protegeu completamente os camundongos velhos do estresse oxidativo causado pela dieta deficiente de nutrientes. Além disso, resultou em acuidade mental maior quando os camundongos envelhecidos consumiram o equivalente a 2-3 xícaras de suco, ou seja, aproximadamente de 2-4 maçãs por dia. "Acreditamos que este efeito seja devido aos altos níveis de antioxidantes presentes na maçã", afirma Shea.

Pesquisa anterior realizada com seus colegas também concluiu que não são o açúcar nem a energia do suco de maçã os responsáveis pelos efeitos positivos, mas sim os atributos antioxidantes da maçã.

Fonte: Journal of Alzheimer's Disease.
Postar um comentário